CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

 

DSTC.jpg

Com objetivo de incentivar a produção do pescado e a geração de renda, inserindo o peixe na alimentação escolar e em programas institucionais, esta previsto para entrar em operação no primeiro semestre deste ano, o projeto de apoio a comercialização do pescado na agricultura familiar. Para isso, um termo de cooperação técnica, firmado entre o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e instituições que atuam no meio rural, vai garantir a aquisição do produto dos piscicultores via Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

De acordo com o Delegado do MDA no Tocantins, Sílvio Ney Barros, esse é um projeto piloto, elaborado ao longo de 2015, que surgiu da dificuldade dos pescadores e aquicultores em acessar o Programa de Aquisição de Alimentos. “Nosso objetivo é unirmos forças com entidades e órgãos dos governos federal e estadual, cada um com suas competências, no sentido de viabilizar a inserção do pescado oriundo da pesca artesanal e da piscicultura familiar nas políticas públicas de apoio a comercialização, como é o caso do PAA”, afirmou o delegado.

Ainda segundo Sílvio Ney, foi realizado um mapeamento, via Ruraltins, em cinco comunidades de pescadores que se enquadrassem dentro das normas estabelecidas pelo MDA, sendo um desses quesitos a organização em associação de pescadores e possuir a DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), como também a participação de 40% de mulheres nessas associações.

Para o fornecimento do pescado ficou acordado que os produtores, por meio de suas associações, entregarão o peixe para unidades de processamento. “No acordo, um frigorífico irá receber a produção e fazer o processamento da carne com uma máquina especial, desenvolvida pela Embrapa, que separa a carne das espinhas formando um produto chamado CMS (carne mecanicamente separada), embaladas a vácuo. Com isso o produto já sairá com o selo de inspeção estadual, adequado as normas do PAA, pronto para ser encaminhado às escolas”, acrescentou o delegado.

Segundo a bióloga do Ruraltins, Cássia Bento, a Colônia de Pescadores de Brejinho de Nazaré foi a primeira a aderir ao projeto e apresentar toda a documentação necessária para a inclusão ao programa. “Com esses pescadores, o Ruraltins irá promover capacitações com foco nas boas práticas de produção, a fim de orienta-los para que o produto chegue em boas condições ao frigorífico e ao consumidor”, disse a bióloga.

Cássia Bento acrescenta que esse projeto, ainda experimental, visa incentivar as potencialidades da cadeia produtiva do pescado, que no Estado é bastante expressiva.

Nos próximos dias o grupo de trabalho vai ser reunir para dar andamento à execução do projeto.

Parceiros

São parceiros no projeto, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Serviço Social do Comércio (Sesc), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae),  Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e o Banco do Brasil.

ASCOM


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

ferpam 240x82

ENERGISA BANNER SETEMBRO

durax 240x72

pub diario folha da cidade 270 340

PROMOVA SEU NEGÓCIO

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.