CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

289782_1000.jpg

O governador Marcelo Miranda começa a semana em Brasília (DF) para reuniões com o ministro da Fazenda, Henrique Meireles; e o presidente interino, Michel Temer. Governadores e vices de 18 estados participam dos encontros para, mais uma vez, pressionarem o governo federal para a aprovação da medida provisória que autoriza os estados a renegociarem as dívidas da União.

A expectativa é que o presidente interino, Michel Temer, assine a medida na reunião com os governadores, prevista para a tarde desta segunda-feira, 20. O Tocantins e o Piauí são os únicos estados que não têm dívidas diretamente da União, mas os empréstimos com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) podem entrar no acordo.

O Tocantins se beneficiará da proposta renegociando os contratos de empréstimo com o BNDES, que somados chegam a cerca de R$ 1 bilhão. O alongamento da dívida concederá, ao Estado, uma folga anual de R$ 70 a R$ 90 milhões no caixa, nos próximos quatro anos. No total, o Estado terá um valor de aproximadamente R$ 300 milhões para investimentos.

Contrapartida dos Estados

No período da manhã, os secretários da Fazenda dos estados se reuniram com a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vitali Janes Vescovi, para discussão sobre as contrapartidas dos estados na negociação. Os principais pontos são: a suspensão da concessão de novos aumentos salariais para os servidores estaduais, com exceção do que já estiver aprovado por lei; a suspensão da nomeação de novos servidores, exceto para reposição de aposentados e falecidos; a redução em 10% das despesas mensais com cargos de confiança em relação a junho de 2014; e a limitação do crescimento de despesas à variação da inflação.

Os estados também devem vedar a concessão de novos benefícios fiscais para empresas, mantendo apenas os já concedidos; aprovar uma Lei de Responsabilidade Fiscal Estadual; instituir um regime de previdência complementar para os servidores estaduais; aumentar gradualmente de 11% para 14% a contribuição previdenciária paga por esses servidores. O secretário de Estado da Fazenda do Tocantins, Edson Nascimento, informou que o Tocantins está preparado para cumprir com as exigências da renegociação. 

 

ASCOM


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

durax 240x72

assembrleia 240

ferpam 240x82

ENERGISA BANNER SETEMBRO

pub diario folha da cidade 270 340

PROMOVA SEU NEGÓCIO

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.