CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

MEDICINA NUCLEARSegundo o médicoradioterapeuta, Roberto Aires Montenegro, o exame tem importância no processo de vários tipos de diagnósticos cardiovascular, digestivo, endócrino, nefrologia e oncologia. Um deles é a possibilidade para verificar o estadiamento de tumores, um processo para determinar a extensão do câncer presente no corpo de uma pessoa e onde está localizado.

Pacientes atendidos pelo Estado agora contam com serviços na especialidade de medicina nuclear. A Secretaria de Estado da Saúde contratou o serviço de Cintilografia, um exame de diagnóstico por imagem que está sendo oferecido desde o início de setembro.

Segundo o médicoradioterapeuta, Roberto Aires Montenegro, o exame tem importância no processo de vários tipos de diagnósticos cardiovascular, digestivo, endócrino, nefrologia e oncologia. Um deles é a possibilidade para verificar o estadiamento de tumores, um processo para determinar a extensão do câncer presente no corpo de uma pessoa e onde está localizado.

“A cintilografia contribui para o diagnóstico mais preciso e possibilita indicação de tratamento mais direcionado ao que o paciente necessita”, esclarece o radiologista explicando que o exame também é muito importante em casos de insuficiência cardíaca, detecção de linfomas, câncer de mama, entre outros.

O exame é feito em Palmas por meio de regulação. Pacientes do interior do estado que possuem necessidade de realiza-lo são encaminhados ao Cardiocenter, clínica prestadora de serviço, na capital.

A Medicina Nuclear é uma especialidade médica que utiliza métodos seguros, praticamente indolores, não invasivos e de relativo baixo custo para fornecer informações que outros exames diagnósticos não conseguiriam, através do emprego de fontes abertas de radionuclídeos, uma substância com propriedades físicas adequadas ao procedimento desejado.

Cintilografia

Cintilografia é o nome dado ao procedimento diagnóstico por imagem na especialidade de medicina nuclear, que significada registro da cintilação, o principal fenômeno no processo de formação da imagem, a partir da radiação emitida pelo órgão que está sendo examinado.

Para que os diferentes órgãos do corpo possam ser examinados, é necessário fazer com que os materiais radioativos cheguem até eles. Uma vez que estes elementos radioativos cheguem aos órgãos de interesse, as radiações emitidas a partir deles são identificadas pelo equipamento e transformadas em imagens que podem ser interpretadas pelos especialistas.

Lisane Braga/Governo do Tocantins

 


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

300x250 1

Banners Sites 240x240

ferpam 240x82

ENERGISA BANNER SETEMBRO

durax 240x72

pub diario folha da cidade 270 340

PROMOVA SEU NEGÓCIO

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.