CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

Divulgação

AMOSTRA CULTURAL

Acontece neste final de semana a 1ª Mostra de Música Instrumental Cultura Popular. O evento será realizado no Distrito de Taquaruçu, entre os dias 10 e 12 deste mês, e contará com 100 horas de espetáculos, oficinas e vivências culturais. A programação gratuita traz show dos cancioneiros Xangai e Juraíldes da Cruz, além de destaques da nova música instrumental brasileira.

Segundo os organizadores, no Mutum, foliões e cancioneiros e cantadores indígenas encontram-se com o jazz, o choro, o blues, o forró e o samba e inúmeros outros gêneros musicais. E as cachoeiras, trilhas dos vales de Taquaruçu, distrito de Palmas-TO, é o território onde essa intensa experiência cultural acontecerá.

O projeto está dentro da programação da Temporada de Férias da Capital, e é realizado pela DB Produções Musicais, pela ONG Casa da Árvore e pelo Ministério da Cultura, em parceria com o Itaú Cultural, que o selecionou por meio do programa Rumos, e apoio da Casa do Artesão de Taquaruçu, Agência Municipal de Turismo, Jubalina Produções e SEBRAE.

Sexta 10/07

Destaque - Paulio Celé e Grupo - Sumidouro (Pça Joaquim Maracaípe) (22h)
O guitarrista tocantinense radicado em São Paulo há dez anos, volta ao quintal de sua terra para encerrar a primeira noite do MUTUM 2015. Neste show, Paulio Celé apresentará algumas de suas composições e arranjos ao lado de Salomão Soares(piano), Sá Reston(baixo) e Rodrigo “Digão” Braz(bateria). Todos os integrantes são pesquisadores da cultura popular e da música universal de Hermeto Pascoal.
6h – Cantoria Indígena - Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)

Logo no primeiro dia do MUTUM, o grupo Apinajé se juntará com grupos de cantadores Kraô, Xerente, Javaé e Karajá, para compartilhar suas vivências através do canto. Um momento de alargamento das fronteiras culturais e celebração. No Terreiro dos Povos, espaço montado para o MUTUM na Casa do Artesão de Taquaruçu, todos estes povos indígenas estão compartilhando suas experiências com a produção de sementes e alimentos, a confecção de artesanato e outros costumes, como rituais, cortes de cabelo e pintura corporal.
10h – Roda de Conversa “Sabedoria Indígena”- Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)

Ainda no Terreiro dos Povos, acontece uma roda de prosa com o tema "Sabedoria Indígena", que fechará a tarde, terá a mediação da historiadora Lidia Soraya e Wooccô Kraô, e contará com a participação de anciãos, pajés e cantadores de diversas etnias. O bate papo é aberto para pessoas de todas as idades, interessadas em conhecer e aprender um pouco mais sobre a relação que esses povos têm com a música, a natureza, as pessoas e a vida. Além da roda de conversa, o dia segue uma feira onde as famílias indígenas compartilharão suas experiências com a produção de sementes e alimentos, a confecção de artesanato e outros costumes, como rituais, cortes de cabelo e pintura corporal.
18h – Encontro de Cantadores Indígenas - Sumidouro (Pça Joaquim Maracaípe)
Indígenas tocantinenses que participaram da Cantoria e da Roda de Conversa, e descem para o palco principal da mostra, o Sumidouro. Um momento inédito, dedicado à celebração da riqueza musical de séculos de histórias

Sábado 11/07

Destaque – Felix Jr e Gabriel Grossi - Sumidouro (23h)
Gabriel Grossi é considerado um dos maiores representantes da harmônica no mundo. Já Félix Júnior é uma das maiores revelações dos violonistas de sete cordas no Brasil. O violão de Félix mescla virtuose e fineza ao executar um instrumento genuíno brasileiro, enquanto Gabriel vem desenvolvendo caminhos inusitados para inserção de instrumentos no rico universo da música brasileira. O encontro dessas grandes figuras da música acontece no Sumidouro, palco principal da Mostra.7:30h – Cortejo Folião -Trajeto entre a Pça Joaquim Maracaípe até a Casa do Artesão de Taquaruçu

O cortejo Folião desperta o segundo dia do MUTUM 2015, os Foliões de Monte do Carmo e de Natividade reconstruirão os giros da folia, um cortejo que tradicionalmente se inicia no domingo de Páscoa, antecipando os festejo em homenagem ao Divino Espírito Santo.
O cortejo começará com concentração em frente ao palco Sumidouro e seguirá acompanhado pela equipe do Circo Social Os Kaco, até o Terreiro dos Povos, lá os foliões entoarão o Canto de Acolhida, seguido pela "Mesa de Folião", um café da manhã tradicional e antes do Canto de Despedida, os grupos farão uma grande roda de viola e catira. 14h - Encontro de Tamboeiros do Tocantins (oficina de confecção e ritmos) -Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)

O MUTUM reúne tamboreiros, feitores e tocadores, de várias regiões do estado. Encontro inédito que será capitaneado por dois mestres dessa arte, Márcio Belo e Lucindo Pereira. Juntos irão compartilhar técnicas de confecção de tambores e de ritmos tocantinenses.O Encontro de Tamboreiros do Tocantins contará ainda com músicos das regiões do Jalapão e Monte do Carmo.
18h – Roda de Suça Grupo Mãe Ana e Catireiros de Natividade - Sumidouro (Pça Joaquim Maracaípe)
A Suça é uma dança de origem africana muito tradicional no Tocantins, em Natividade ela sempre foi dançada pela comunidade nos Festejos do Divino Espírito Santo e no MUTUM 2015 será dançada pelo grupo Mãe Ana, que é coordenado por Felisberta Pereira da Silva, no palco principal da mostra, Sumidouro. O grupo se encontra com seus conterrâneos, Catireiros de Natividade, que somaram ainda mais para esse espetáculo cultural acontecer.

Domingo 12/07

Destaque – Juraíldes da Cruz e Xangai - Sumidouro (23h)
No último dia de MUTUM, o Sumidouro é palco de um encontro de gigantes. Dois dos maiores cantores e compositores brasileiros se encontram para fechar a Mostra com chave de ouro, Juraldes da Cruz faz parte de uma linha de cantadores que traz no seu cantar os autênticos valores da cultura regional, aprendidos na linguagem, hábitos e costumes do povo. E o violeiro Xangai, que é considerado como o melhor intérprete de compositores eruditos como Elomar, propiciando inclusive a facilitação do entendimento das composições deste compositor.
Show de Violas de Buriti do Jalapão -Sumidouro – Pça Joaquim Maracaípe(18h)
A Viola de Buriti é um instrumento musical muito popular no cerrado brasileiro, e é no MUTUM que violeiros da região do Jalapão trazem toda cultura e tradição dessa Viola, num espetáculo musical imperdível.

Artistas de diversas comunidades quilombolas do Jalapão: da comunidade Mumbuca, Mauricio e Arnon Ribeiro, da comunidade barra do Arueira, Nilo Rodrigues, e outros músicos das comunidades de Santa Teresa e Lagoa fazem um show onde o repertório conta com músicas que homenageiam a viola de buriti, o artesanato com o capim dourado e exaltam as belezas da região e as riquezas do Cerrado.
9h – Vivências Culturais com Comunidades Quilombolas de Barra da Aroeira -Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)
As Vivências Quilombolas de Barra do Aroeira trazem ao Terreiro dos Povos muitas atrações especiais e imperdíveis, são apresentações de Suça, Dança do Lenço e Maculelê, todos patrimônios culturais imaterial da nossa região. As mulheres da comunidade Rio da Prata que comandam essa festa, e dançam acompanhadas pelo som do tambor, do prato e do chocalho.

Malena Mota *Com informações do Núcleo de Comunicação 1º Mutum


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

Web Banner Super Liga da Energia 240x240px Energisa

Mídias Sites 240x240

ferpam 240x82

diario do tocantins OBRAS PELA CIDADE 240x570 1

durax 240x72

pub diario folha da cidade 270 340

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.