CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

SSP.jpg

Colocados em locais estratégicos para a coleta de resíduo comercial, industrial e domiciliar, o mau uso dos contêineres tem causado prejuízo ao erário e dano ao meio ambiente. Alguns contêineres estão sendo usados, equivocadamente, para coleta de resíduos da construção civil, o que tem causado sobrepeso e a quebra das roldanas e diversas avarias nesses recipientes.

De acordo com o superintendente de Serviços Públicos, Herbet Veras, os contêineres, além de facilitar o sistema de coleta, otimiza o tempo de armazenamento. “São muito usados em condomínios e por empresas o que otimiza o tempo e o espaço de coleta pela empresa responsável”, disse.

O superintendente ainda destaca que a disposição da coleta de forma errada e o mau uso do equipamento público estão causando problemas para gestão. “O recipiente deveria ser usado apenas para coleta de material como papel, papelão, sacos plásticos, resíduos comerciais e de produção, mas estão sendo utilizados para acondicionamento de lixo orgânico e de resíduos da construção civil”, disse.

Ainda de acordo com Veras, o mau uso do equipamento compromete toda o planejamento da coleta de lixo pela empresa responsável, dificultando a separação do material e, conseqüentemente, provoca danos maiores ao meio ambiente.

Ao todo, mil contêineres são disponibilizados na Capital onde são previamente cadastrados pela empresa responsável pela coleta.

A Prefeitura de Palmas esclarece que o armazenamento de materiais provenientes da construção civil, do lixo hospitalar e de produtos químicos são proibidos neste tipo de coletor.

 

Márcio Greick


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

durax 240x72

OUTUBRO 6

ferpam 240x82

ENERGISA BANNER SETEMBRO

pub diario folha da cidade 270 340

PROMOVA SEU NEGÓCIO

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.