CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

As mercadorias ferem a legislação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e por isso não podem ser doadas ou repassadas ao consumidor.

Destruição de Produtos 18 09 2018 9 1Mais de 14.700 produtos apreendidos pela Agência de Metrologia, Avaliação da Conformidade, Inovação e Tecnologia do Estado do Tocantins (AEM-TO), com processos jurídicos e administrativos já tramitados e finalizados, foram destruídos no Aterro Sanitário de Palmas.

As mercadorias ferem a legislação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e por isso não podem ser doadas ou repassadas ao consumidor. “São produtos que não estão de acordo com a qualidade do Inmetro e, por isso, não estão aprovados para a comercialização”, informa a presidente da AEM, Débora Batista Almeida Vasconcelos Miola.

Rolo compressor e compactação

Todo o processo de destruição dos produtos foi acompanhado pelo presidente da Comissão de Destruição da AEM, Anderson Luiz Justino Martins e pelo engenheiro responsável pelo Aterro Sanitário de Palmas, João Marques. As máquinas fazem a compactação com o trator de esteira com rolo compressor e, posteriormente, os resíduos são aterrados, em conformidade com a legislação ambiental. “Acompanhamos todo o descarte dos produtos assegurando que nenhuma mercadoria irregular possa chegar até o consumidor e colocar em risco a vida da população”, informa Anderson.

Produtos destruídos

Brinquedos, artigos escolares, equipamentos de proteção individual, copos plásticos descartáveis, isqueiros, materiais elétricos, panelas de pressão, eletrodomésticos e eletroportáteis que não tinham condições de serem comercializados, por não atenderem os princípios da segurança, saúde e meio ambiente, são os produtos que foram destruídos.

O diretor técnico da Agência de Metrologia, Jailes Oliveira de Almeida, ressalta que é importante observar muito mais que a aparência dos produtos. “Os brinquedos, por exemplo, devem apresentar informações obrigatórias, selo de certificação, dados do fabricante, composição, faixa etária. Devem ser produzidos com produtos não nocivos à saúde das crianças”, informa o diretor.

Processo Legal

Todo o trâmite burocrático para o processo de destruição de produtos é acompanhado pela Comissão de Destruição da AEM, que é composta por servidores efetivos do órgão.

Todo o processo é público e está publicado no Diário Oficial do Estado (DOE). A inutilização é amparada pela Portaria 70/2014 do Inmetro.

Governo do Estado do Tocantins

Cejane Borges / Governo do Tocantins


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

Web Banner Super Liga da Energia 240x240px Energisa

Mídias Sites 240x240

ferpam 240x82

diario do tocantins OBRAS PELA CIDADE 240x570 1

durax 240x72

pub diario folha da cidade 270 340

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.