CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

Além disso, o porcentual de família com dívidas em atraso, ou seja, inadimplentes ficou em 13% na capital do Tocantins, enquanto a média nacional é 26%.

images.44jpgPara o presidente do Sistema Fecomércio, Itelvino Pisoni, este dado é positivo para o estado. “Se a inadimplência continua estável no Tocantins apesar de ter tido aumento na média nacional, isso significa que as famílias de Palmas estão conscientes e sabendo lidar com suas dívidas. Isso é bom para o comércio porque existe o consumo mas a inadimplência não é exorbitante”, explicou. No último levantamento, o porcentual de famílias com dívidas em atraso de Palmas estava em 14% (queda de 1% se comparado com a radiografia atual) e a média nacional estava em 23%, aumento de 3%.

Considerando apenas as capitais da região Norte, segundo a 8ª edição da Radiografia do Endividamento das Famílias Brasileiras, Palmas foi a terceira capital com maior proporção de famílias endividadas na região Norte com 70%, ficando acima da média nacional calculada em 62%. O estudo foi realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Boa vista foi a capital mais endividada com 83%. Em segundo lugar ficou com a cidade de Macapá/AP com 76%, após Palmas, na sequência estão Manaus/AM, com 62%; Rio Branco/AC, com 60%; Porto Velho/RO, com 52% e Belém/PA, com 40%.

De acordo com a assessora econômica da Fecomércio Tocantins, Fabiane Cappellesso, com a retomada da economia o cenário começou a mudar. “Já em 2017 com a melhoria gradual da confiança, as famílias voltaram a buscar crédito e fizeram a retomada deste consumo que estava reprimido. O que ajudou muito essa busca pelo crédito foi o aumento da renda das famílias, a queda da inflação, a queda na taxa do desemprego e o aumento na massa de rendimentos dos aposentados”, ressaltou.

Outro destaque para Palmas na radiografia é que ela alcançou o primeiro lugar no item: renda média da família, com a média de R$ 5.305. De acordo com o levantamento, a renda média das capitais brasileiras ficou em R$ 6.424. Além disso, o porcentual de família com dívidas em atraso, ou seja, inadimplentes ficou em 13% na capital do Tocantins, enquanto a média nacional é 26%.

Para o presidente do Sistema Fecomércio, Itelvino Pisoni, este dado é positivo para o estado. “Se a inadimplência continua estável no Tocantins apesar de ter tido aumento na média nacional, isso significa que as famílias de Palmas estão conscientes e sabendo lidar com suas dívidas. Isso é bom para o comércio porque existe o consumo mas a inadimplência não é exorbitante”, explicou. No último levantamento, o porcentual de famílias com dívidas em atraso de Palmas estava em 14% (queda de 1% se comparado com a radiografia atual) e a média nacional estava em 23%, aumento de 3%.

O estudo avalia os principais aspectos, dimensões e efeitos da política de crédito no Brasil sobre as famílias entre 2015 e 2017, período transitório, com encerramento da crise econômica (2014/2016) e início de um processo de recuperação em meio às incertezas políticas e econômicas. A análise foi feita com base em informações do Banco Central do Brasil, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

(Ascom Fecomércio Tocantins – com informações e colaboração Fecomércio SP)Palmas é a terceira capital no ranking de famílias endividadas na região Norte

Considerando apenas as capitais da região Norte, segundo a 8ª edição da Radiografia do Endividamento das Famílias Brasileiras, Palmas foi a terceira capital com maior proporção de famílias endividadas na região Norte com 70%, ficando acima da média nacional calculada em 62%. O estudo foi realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Boa vista foi a capital mais endividada com 83%. Em segundo lugar ficou com a cidade de Macapá/AP com 76%, após Palmas, na sequência estão Manaus/AM, com 62%; Rio Branco/AC, com 60%; Porto Velho/RO, com 52% e Belém/PA, com 40%.

De acordo com a assessora econômica da Fecomércio Tocantins, Fabiane Cappellesso, com a retomada da economia o cenário começou a mudar. “Já em 2017 com a melhoria gradual da confiança, as famílias voltaram a buscar crédito e fizeram a retomada deste consumo que estava reprimido. O que ajudou muito essa busca pelo crédito foi o aumento da renda das famílias, a queda da inflação, a queda na taxa do desemprego e o aumento na massa de rendimentos dos aposentados”, ressaltou.

Outro destaque para Palmas na radiografia é que ela alcançou o primeiro lugar no item: renda média da família, com a média de R$ 5.305. De acordo com o levantamento, a renda média das capitais brasileiras ficou em R$ 6.424. Além disso, o porcentual de família com dívidas em atraso, ou seja, inadimplentes ficou em 13% na capital do Tocantins, enquanto a média nacional é 26%.

Para o presidente do Sistema Fecomércio, Itelvino Pisoni, este dado é positivo para o estado. “Se a inadimplência continua estável no Tocantins apesar de ter tido aumento na média nacional, isso significa que as famílias de Palmas estão conscientes e sabendo lidar com suas dívidas. Isso é bom para o comércio porque existe o consumo mas a inadimplência não é exorbitante”, explicou. No último levantamento, o porcentual de famílias com dívidas em atraso de Palmas estava em 14% (queda de 1% se comparado com a radiografia atual) e a média nacional estava em 23%, aumento de 3%.

O estudo avalia os principais aspectos, dimensões e efeitos da política de crédito no Brasil sobre as famílias entre 2015 e 2017, período transitório, com encerramento da crise econômica (2014/2016) e início de um processo de recuperação em meio às incertezas políticas e econômicas. A análise foi feita com base em informações do Banco Central do Brasil, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

(Ascom Fecomércio Tocantins – com informações e colaboração Fecomércio SP)


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

Diario dotocantins 240x240

diario to

ferpam 240x82

durax 240x72

pub diario folha da cidade 270 340

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.