CEOP GIF BRUNO

Z NOVO3

MORTE POR ASFIXIA E ESGANADURA

CASPMÉDICO PROFESSORAFoi concluído dia 10 , pela Polícia Civil do Estado o relatório final do Inquérito Policial que apurava a morte da professora Danielle Christina Lustosa Grohs, ocorrido em 18 de dezembro de 2017, na região Sul da Capital. Fotos:Divulgação

*Priscila Cadore / Governo do Tocantins

As investigações realizadas pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), de Palmas, evidenciaram a materialidade do crime de homicídio, após exame pericial necroscópico, realizado pelo Instituto Médico Legal de Palmas, indicar asfixia mecânica por esganadura como a causa da morte da vítima.

A autoria do crime, por sua vez, recaiu sobre Álvaro Ferreira da Silva, ex-marido da vítima, e Marlla Cristina Barbosa Santos, que, com ele, mantinha relacionamento afetivo, após colheita de inúmeras provas testemunhais, perícias em local do crime e do cruzamento de dados de telecomunicação e de informática que envolviam os investigados.

O "casal" foi indiciado pela prática de homicídio qualificado, sendo o relatório final encaminhado ao Ministério Público Estadual, sem a necessidade de requerimento de prorrogação de prazo para conclusão do inquérito, já que o procedimento foi finalizado no prazo legal.

Paralelamente ao indiciamento, a Polícia Civil requereu, ainda nesta sexta, 9, a decretação da prisão preventiva de Álvaro Ferreira da Silva. O indiciado estava recolhido na Casa de Prisão Provisória de Palmas, desde o dia 11 de janeiro, em cumprimento a prisão temporária de 30 dias, também requerida pela DHPP Palmas, e estava prestes a ser posto em liberdade. Com o novo pedido, acolhido, na mesma data, pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Palmas, Álvaro permanecerá preso, à disposição do Poder Judiciário, até ser julgado pelo crime.

A possibilidade de o indiciado vir a intimidar ou atentar contra a vida ou integridade de testemunhas e o fato de já ter se evadido do local em outra oportunidade, fez com que a prisão preventiva fosse necessária para a manutenção da ordem pública, conveniência da instrução criminal e para assegurar a aplicação da lei penal.

O caso Danielle Christina

A professora Danielle Christina Lustosa Grohs foi encontrada morta, em sua residência, na Quadra 1004 Sul, no dia 18 de dezembro de 2017. A vítima apresentava sinais aparantes de estrangulamento e havia registrado ocorrência, dois dias antes, de violência doméstica praticada pelo ex-marido, o médico Álvaro Ferreira da Silva.

O autor das lesões foi submetido à prisão até ter sua liberdade condicional decretada judicialmente, em audiência de custódia, no dia seguinte aos fatos. Após a constatação da morte de Danielle Christina, o ex-marido foi procurado pelas autoridades policiais, mas evadiu-se da cidade e, por semanas, impossibilitou a intimação para ser interrogado.

Equipes da Polícia Civil do Tocantins, com apoio das polícias civis de São Paulo e Goiás, fizeram a captura de Álvaro na cidade goiana de Anápolis, em 11 de janeiro de 2018.

Álvaro e Marlla foram interrogados duas vezes na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa da Capital e indiciados por homicídio qualificado

Fonte: Governo do Tocantins/Arquivos/TV Anhanguera-Foto


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.

Web Banner 240x240px Palmas Saude

ferpam 240x82

ENERGISA BANNER SETEMBRO

durax 240x72

pub diario folha da cidade 270 340

PROMOVA SEU NEGÓCIO

Todos os direitos reservados - Cidade Comunicação LTDA. Contato: falecom @ diariodotocantins.com.br.