baby-global.jpg

Bebês fazem caretas, contorcem-se, balbuciam, chutam… Tudo isso são maneiras de comunicar sensações, sentimentos ou, até mesmo, de dizer que algo não está bem.

1. Bater a cabeça no berço – tudo indica que os bebês fazem isso para se acalmar. Os pais devem mostrar que essa atitude pode machucá-los e ensinar outra forma de relaxar. Uma vez ou outra, essa ação não é problema. Mas se a criança faz isso sempre, é melhor procurar um especialista para entender o que está acontecendo.

2. Puxar as próprias orelhas – há bebês que dão puxões tão fortes que parece que vão arrancar as orelhas. Muitos pais acham que a criança está com dor de ouvido. Na verdade ela está é encantada porque descobriu uma nova parte de seu corpo. No entanto, se os puxões coincidirem com o nascimento dos primeiros dentes, podem ser sinal de muito incômodo. Oferecer mordedores adequados ajuda o bebê a aliviar a dor.

3. Punhos cerrados – ficar com as mãos fechadas é algo comum entre os recém-nascidos, que ainda não desenvolveram totalmente o cérebro. Abrir e fechar a mão, mexer os dedos são ações que requerem mais maturidade do sistema nervoso. Por volta de oito semanas, o bebê já começa a fazer os movimentos. Se os punhos cerrados continuarem por mais tempo, pode ser sinal de fome ou estresse. Caso a criança mantenha essa conduta depois dos três meses, vale consultar o pediatra para saber o que está acontecendo.

4. Chutes ao vento – chutar o ar, sorrindo, significa que o bebê está contente, animado, cheio de energia. Mas se ele estiver irritado ou chorando, é bom verificar se a fralda está suja ou se a barriguinha está com muitos gases. Neste caso, massagem suave pode ajudar.

5. Joelhos flexionados – talvez o bebê esteja com gases ou com o intestino preso. Se for a primeira opção, massagem ajuda. No caso da segunda, é bom consultar o pediatra para saber o que fazer.

6. Costas arqueadas – o bebê está comendo e joga as costas para trás, chorando ou cuspindo a comida. Pode ser refluxo. Persistindo o problema, melhor conversar com o especialista. Se o bebê se joga para trás, mas não está se alimentando, talvez sinta-se desconfortável e precisa ser melhor acomodado à cadeira ou à superfície onde está sentado.

7. Braços abertos – do nada, o bebê abre os braços e fica assim por um bom tempo. Ele pode estar dizendo que se sente inseguro, sem suporte, com medo de cair. Acalme-o, mostrando-lhe que está protegido.

ascom


O Diário do Tocantins apoia a liberdade de opinião, mas é contra o uso de termos ofensivos. Os comentários listados abaixo estão sob responsabilidade de seus respectivos autores.